7 Sementes, sem glúten, que podem turbinar a sua saúde - Nutro BRasil

7 Sementes, sem glúten, que podem turbinar a sua saúde

Publicado em: 09.02.2015

Sementes - Nutro Brasil

Quando ocorre algum tipo de machucado no nosso corpo geralmente aparecem os sinais clássicos de inflamação com a presença de vermelhidão local, calor, inchaço e dor. Entretanto existe um outro tipo de inflamação dentro do nosso corpo, com a função de garantir que nutrientes e a atividade imunológica cheguem na área que foi comprometida por algum tipo de dano ao nosso organismo. Esse processo tem a função de garantir a nossa sobrevivência.

Existem algumas doenças e hábitos de vida, que podem desencadear inflamação como exposição a toxinas ambientais, tabagismo, excesso de consumo de bebidas alcoólica, distúrbios do sono, estresse e má alimentação. Nessas situações a inflamação torna-se difusa, de longa duração, levando a reações químicas que conduzem a uma atividade mais intensa do nosso sistema de defesa imune.

Por outro lado, alguns alimentos  podem reduzir ou até mesmo prevenir a inflamação. Nesse sentido, o consumo regular por pelo menos uma vez ao dia de sementes, poderá ajudar na defesa da inflamação. Hoje recomendo 7 tipos de sementes que podem ajudar nesse processo anti-inflamatório:

1 – Chia

Por ser um grão integral e possuir componentes nutricionais como ômegas 3 e 6, fibras solúveis e insolúveis, além de proteínas, antioxidantes, vitaminas e minerais, a chia pode ser consumida para melhorar a saúde e reduzir o risco de doenças cardiovasculares, diabetes e obesidade. Além disso, tem efeitos favoráveis melhora da gordura do fígado (esteatose), síndrome dos ovários policísticos, cólica menstrual osteoporose e sintomas da menopausa. Por conter fibras melhora a constipação.

2 – Linhaça

A linhaça é rica em fibras, proteínas e antioxidantes. Apesar de possuir menor quantidade de ômega 3 e 6 quando comparada a chia, a linhaça tem a vantagem de conter fitoestrogênios. Os efeitos biológicos da chia estão relacionados ao alívio dos sintomas neurológicos, redução da diabetes, doenças cardiovasculares e de alguns tipos de câncer, além de melhorar a constipação. Por possuir efeito de saciedade, ajuda no tratamento da obesidade.

3 – Quinoa

Com alto conteúdo protéico, a quinoa também possui vários minerais como cálcio, magnésio, potássio, magnésio, ferro, fósforo e zinco. Possui maior quantidade de ômega 6 e menor quantidade de ômega 3 em comparação a outros cereais. A quinoa tem grande importante na prevenção de anemias por deficiência de ferro. Por possuir elevado teor do aminoácido triptofano, tem influencia na produção de serotonina que regula o apetite, melhora o humor, a depressão e o sono.

4 – Gergelim

Os componentes importantes do gergelim são seus antioxidantes, fibras, ácidos graxos poli-insaturados e cálcio, tendo efeitos benéficos de retardar o envelhecimento celular e atuar aumentando os efeitos de defesa contra fungos e bactérias. Além disso, o gergelim auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares, depressão, constipação e osteoporose.

5 – Grão se bico

Possui quantidades generosas de proteínas, sais minerais e vitaminas do complexo B e A. É pobre em água e gorduras, porém possui boa quantidade de ácido fólico e fibras além de cálcio, magnésio e ferro. O grão de bico possui grande quantidade de triptofano, aminoácido que leva a formação de serotonina, responsável pela ativação dos centros cerebrais para melhora o bem-estar, satisfação e confiança.

6 – Amaranto

O valor nutricional do Amaranto é enfatizado pela presença de proteínas, fibras, ácidos graxos insaturados, vitaminas, além de zinco, fósforo e cálcio. O Amaranto tem efeito na prevenção de doenças cardiovasculares e reduz o colesterol ruim.

7 – Sementes de abóbora

As sementes de abóbora são ricas em proteínas, lipídios e fibras, além de possuírem compostos bioativos como ácidos graxos essenciais e antioxidantes como, tocoferóis, carotenóides, compostos fenólicos, fitosteróis, mas também possui fatores anti-nutricionais como cucurbitacinas, cianetos, inibidores de tripsina e saponinas. Para o consumo é necessário o cozimento das sementes para neutralizar os fatores anti-nutricionais para obter os melhores efeitos benéficos de prevenção de doenças crônicas.

Dr. José Alexandre Portinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *