Os 8 piores alimentos para as crianças - Nutro BRasil

Os 8 piores alimentos para as crianças

Publicado em: 10.02.2015

Alguns produtos com pouco ou nenhum valor nutricional que prejudicam a saúde a curto e longo prazo, devem ser descartados do cardápio infantil.

Assim que a criança entra na fase de alimentação sólida, a atenção dos pais deve se voltar à qualidade da comida que ela irá ingerir. “Nessa fase, após o período da lactação,  o tipo de alimento ingerido irá começar a moldar o genoma da criança, criando hábitos alimentares específicos a esses alimentos consumidos, que vai perdurar pelo resto da vida. Por essa razão é de estrema importância os pais incentivarem nessa fase, o consumo de alimentos saudáveis ricos em grãos integrais, fibras, vegetais legumes e verduras. Com essa atitude os pais estarão dando uma contribuição ao seu filho na prevenção de doenças crônicas como diabetes, obesidade, câncer e doenças cardiovasculares. Desde o início do consumo de alimentos sólidos, a confecção de refeições nutritivas e saborosas é uma prioridade no prato do seu filho, e o que não trouxer benefícios à saúde deverá ser descartado da dieta diária” afirma José Alexandre Portinho, médico nutrólogo.

Mas, com a correria do dia a dia, quando a pressa fala mais alto do que a qualidade de vida, alimentos considerados ruins aparecem no cardápio caseiro. A facilidade de acesso a alimentos prontos para o consumo, acaba levando ao preparo de refeições mais gordurosas e açucaradas como refrigerantes e guloseimas, o que contribui para problemas relacionados ao aumento dos níveis de colesterol no sangue e obesidade infantil.

Os vilões

1 – Refrigerantes

2 – Salgadinhos em saquinhos

3 – Sucos industrializados

4 – Biscoitos recheados

5 – Nuggets industrializados

6 – Hambúrguer industrializado

7 – Salsichas

8 – Macarrão instantâneo

A dupla: refrigerante e salgadinho de saquinho que faz o sucesso entre a criançada, são os maiores vilões da alimentação infantil. Juntos ou isoladamente, a bebida e o petisco têm valor nutricional bastante reduzido e trazem muitos males, entre eles o risco de doenças crônicas como diabetes e obesidade, além de enfraquecimento dos ossos, por causa da alta concentração de elementos como o sódio e da presença de ácidos nas fórmulas.

Sucos industrializados (em pó ou em líquidos) e biscoitos recheados, muito populares entre as crianças, são igualmente ruins para a dieta infantil devido a altíssima concentração de açúcar, conservantes, corantes, estabilizantes e outros componentes que não fazem bem a saúde.

Algumas “soluções rápidas” para almoço ou jantar figuram entre os piores alimentos para as crianças. São os nuggets, os hambúrgueres e as salsichas, que muitas vezes entram como substitutos de um bife ou filé. Quase sempre feitos com carne processada, eles não têm as proteínas que muitos pais creem fornecer aos filhos quando os colocam no prato. Para piorar, a maioria dos hambúrgueres é rica em gordura trans. O melhor é se manter fiel à carne tradicional e mesmo assim em pouca quantidade. As frituras em geral produzem 3 vezes mais calorias do que os mesmos alimentos quando assados, cozidos ou grelhados. Já os alimentos empanados e fritos (à milanesa) fornecem 4 vezes mais calorias. As salsichas são processadas com restos de animais, como pele, cebo, cérebro e outras vísceras.

Sempre pense em alternativas

Para manter a saúde e o ritmo das atividades cotidianas, é preciso saber que alimentos priorizar. Muitas vezes o consumo de macarrão instantâneo torna-se uma prioridade, por ser de fácil preparo. Entretanto, esse tipo de macarrão é rico em sódio, além de conter excesso de gorduras saturadas, trans, muitos conservantes e poucos nutrientes saudáveis. Nesse caso, é preferível o consumo do macarrão convencional ou melhor ainda o macarrão integral. “O tempo médio de preparo de um macarrão instantâneo é de três minutos, o de um não instantâneo é de oito minutos. São cinco minutos a mais para oferecer um prato mais saudável ao filho. Vale a pena! E durante o tempo de cozimento da massa é possível fazer um molho natural bem gostoso, utilizando por exemplo, tomate, cebola, alho e outros ingredientes”, sugere Dr.Portinho.

O suco em pó ou de caixinha e refrigerantes, devem ser reduzidos e substituídos pelo suco natural da fruta feito na hora, se quiser pode usar o liquidificador para o preparo. Além disso, ao longo do dia, a criança precisa beber bastante água para facilitar o metabolismo de todos esses nutrientes consumidos.

O resultado desse esforço é imediato e também poderá ser visto em todas as fases de vida do seu filho. “Mantendo uma boa rotina alimentar, consumindo nutrientes saudáveis, mas evitando excessos de sal, açúcar, gorduras saturadas e trans, a criança terá mais facilidade no aprendizado, um melhor desenvolvimento do corpo e do sistema imunológico. Os bons hábitos, adquiridos desde a infância, evitam problemas graves de saúde no presente e no futuro”, diz o médico nutrólogo Dr. José Alexandre Portinho, do Rio de Janeiro.

Dr. José Alexandre Portinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *